sexta-feira, 24 de agosto de 2012

GOOD VIBES!

Já tinha um tempo que eu não fazia uma arte pro MamaQuilla. Na real, acho que desde o disco (vide post FORTES ELEMENTOS) os caras não me chamaram pra mais nada. Até aí normal. Já falei que acho até saudável variar no responsável pela identidade visual, porém (TEM SEMPRE UM PORÉM!!!) a gente sente saudades de trampar com os elementos da banda, hehe! Buenas, eis que surge uma oportunidade naquele esquema do "pra ontem"(e talvez até tenha sido convocado justamente por esse fator...) e acabei me vendo novamente ouvindo um reggaezinho pra inspirar.

Não é raro as artes que mando pra banda voltarem com pedidos de modificação. Eles são detalhistas e se preocupam com a imagem que passam. Longe do esquema clichê de "aumenta o logo" que todo cliente pede, hehe! Na maioria dos casos é pra limar algum elemento que incluí no poster por achar que tem a ver com o conceito que entendo pra banda. Portanto é absolutamente normal acharem que algo não combina ou até mesmo que a vibe da imagem é negativa...

Então eu tinha duas exclamações me apitando na cabeça: 1) O tempo é curto, portanto, devo viajar pouco na maionese pra que, depois de pronta, ela não volte com pedido de modificação. 2) Mesmo assim, vou tentar agradar pra que não fique tanto tempo sem receber um pedido de arte.

A visão que tenho pro conceito de imagem do MamaQuilla é basicamente de arte rupestre. Isso é bem  aceito pela banda porque foi a inspiração pro projeto gráfico do disco. Claro, que já tive que limar, por exemplo, um totem indígena que usei numa arte passada, portanto, decidi que iria pegar bem leve nos elementos dessa vez. Analisando quase um ano depois, vejo que peguei leve até demais, mas tive essas razões que expliquei acima.

Ah, olha que legal: estive no bar onde seria realizado o evento dias antes e, como sempre, parei pra olhar os cartazes dos próximos eventos. Percebi que estavam quase 100% num clima dark, então já tinha pensado que, na próxima vez que eu fizesse algo pra colocar naquele mural, seria bem colorido. Fundo verde claro neles! Apliquei uma textura pra dar uma impressão áspera (elemento de caverna) e o nome da banda viria com a mesma fonte utilizada no disco, mas colorida. Escolhi amarelo e também apliquei textura pra dar uma impressão de dourado (outro elemento...) e, pra destacar um pouco mais, uma sombra preta por trás.

Comecei a achar que poderia ficar muito carnaval a parada, então decidi que a Lua seria preta, mas não gostei dela aplicada diretamente no fundo verde. Uma bola vermelha, quase Sol-nascente-bandeira-do-Japão (Sol-Lua-Ouro, saca?) de fundo resolveu o caso. Só faltava as informações! Coloquei simplesmente um papel velho e escrevi tudo o que tinha que escrever (incluindo logo do bar). Depois passei uma borracha pra ficar tudo meio falhado e dar impressão de antigo. Achei que faltava alguma coisa ainda e pensei que, como tinha usado amarelo verde e vermelho (cores da Jamaíca) não custava nada colocar nos cantos um "rei leão" que tem a ver com o tema reggae, né? Ah, já tá lá!

Enviei essa arte em tempo recorde e foi aprovada sem alteração nenhuma. Legal, mas achei que era por causa do prazo muito curto, então voltou a sombra do pessimismo escamoso achando que ia ficar um tempão sem ouvir falar dos caras novamente. Mas contra a vibe positiva, o pessimismo não dura muito e, na sequência, o Tiago (vocalista da banda) comentou que gostou bastante e que até tava pensando em fazer uma camiseta com essa arte. Não sei se virou peça do guarda-roupa dele, mas sei que não fiquei muito tempo sem fazer uma arte pros caras, hehe! Em breve vou colocando as outras que vieram na seqüência e onde, em doses homeopáticas, comecei a somar outros elementos no conceito visual deles. Eram os deuses astronautas? FikDik!

Um comentário:

Swonkie disse...

Olá :) Enviamos um convite para o teu email. Caso não tenhas lá recebido poderás aceder à nossa plataforma em https://swonkie.com
Contamos contigo? :)