quarta-feira, 13 de julho de 2011

O QUE É ISSO, COMPANHEIRO?

Rage cover na parada novamente! Já devo ter postado uns quatro outros cartazes que fiz sobre o mesmo tema e, a pedido do próprio pessoal da banda, em todos tinha uma estrelona vermelha estampada pra facilitar o reconhecimento da galera. Mas, querendo evitar que a mesmice se abatesse no trabalho, resolvi traçar outro caminho que não fosse o mais fácil.

Pesquisei outras imagens que a banda homenageada costuma utilizar como símbolo e descobri um punho cerrado que provavelmente faz referência ao disco The battle of Los Angeles (1999). Refiz o desenho à minha imagem e semelhança pra deixar bem no meio da arte, mas não estava plenamente satisfeito com o resultado.

Sendo o Rage uma banda descaradamente canhota, resolvi fazer uma citação ao nosso querido amigo Владимир Ильич Ленин, que traduzido fica Vladimir Ilitch Lenin, ou simplesmente Lenin pros mais intímos. Líder do Partido Comunista e responsável pela Revolução Russa de 1917 que originou o primeiro país socilista do mundo: a União Soviética.

Obviamente minha forma de pagar um tributo é zoar a imagem do homenageado, portanto amalgamei o punho com o busto do nosso carismático revolucionário calvo, ampliando (??) os horizontes conceituais de ambas as imagens. Avermelhei o retrato e o desgastei bastante. Fiz o mesmo com o fundo e acredito ter dado uma impressão de fotografia antiga.

Não quis macular a imagem do novo ser que se formou colocando as informações por cima dele, então acabei encaixando tudo em volta. Sem a frescuragem do texto acompanhar o objeto central, bem quadradão mesmo! Logo do bar, nome da banda com uma fonte "Sex Pistols way of life" e demais informes. Gostei do nome ter sido quebrado ao meio! Achei que deu um tcham bem bacana.

Mesmo não citando a estrela de sempre, a banda curtiu e aprovou. Na época algum socialista que viu ficou um pouco ofendido por eu ter mexido com a imagem de seu ídolo, mas a pop-art taí pra isso mesmo: ao mesmo tempo que eleva-se o kitsh ao nível de algo sagrado, transforma-se ícones outrora intocáveis em bibelôs decorativos. Oh, yeah!