quinta-feira, 31 de março de 2011

GLACÊ PSICODÉLICO

Aqui um caso de mudança de identidade visual. O cliente pediu logo, cartaz, cartão, etc. O detalhe é que ele já tinha tudo isso. Meu trabalho seria dar um upgrade a parada toda. O Detset faz rock dos anos 80, 90 e 2000, ou seja, banda de dial (aquele simpático mostrador de rádio) que toca sucessos atuais e mega hits do passado. Sem trabalho autoral. Portanto, na teoria, trata-se de uma autêntica banda pop como tantas que a gente conhece.

Numa rápida pesquisada no tipo de comunicação que é desenvolvido pra bandas semelhantes, encontra-se dois pontos comuns: muitas cores e alegria/festa (e nisso incluo cartazes antigos da própria banda). Só que se os caras contrataram o meu trabalho por livre e espontânea vontade, estando cientes do meu estilo, quer dizer que estava claro que desejavam justamente o toque escamoso nesse novo visual.

Mãos à obra! Primeiro a logo. Já falei aqui que não gosto de criar logo? Pois é! Não gosto. Fiquei alguns dias quebrando a cabeça porque queria chegar num ponto médio entre o pop e o cool. Acho que o detalhe da guitarrinha deixou açucarada para a galera blasé e o modo como encaixei as letras tenha tornado "muderna" pra galera pop. Buenas, o target da banda (público e contratantes) não é alternativo, muito pelo contrário. Então é isso. Simpático sem ser sorridente-extreme e confuso sem ser agressivo.

Já na linguagem do cartaz eu queria um pouco mais de agressão, sim senhor! O mundo dos cartazes pop geralmente é muito "felizinho": um emaranhado de cores e informações que só poluem a arte. Fujo disso! Aqui a intenção era (além de priorizar o novo look) mostrar que uma banda estava chegando, e não uma coisa descartável. Afinal de contas, uma banda é algo importante. São os mestres de cerimônia que vão embalar a sua estadia num determinado recinto! O clima da sua noite está intimamente ligado à performance dos musicos.

Logomarca centralizada dando um grande "olá!" e informações bem organizadas, dentro de quadrados pretos e ocupando pontos extremos da arte (local do show no topo e demais infos quase no rodapé) pra evitar poluição. Valorizei a data e gostei do jeito que deixei horário e preço do show pequenos.

A criação do fundo estava resolvida na minha cabeça: amarelo chapado com uns elementos vermelhos nas laterais. Até pra valorizar a logo nova, porém (TEM SEMPRE UM PORÉM!!!) como eu tinha tempo pra entregar a arte, resolvi brincar com algumas texturas e transformei a foto de uma piscina (com água azul e limpa) nesse glacê áureo maluco que me fez mudar radicalmente de idéia. Fiz uns riscos com um pincel mais grosso e falho do photoshop num vermelho que ia escurecendo gradativamente. Acabei mexendo na logo por isso: coloquei um efeito plástico e sombra pra dar uma impressão 3D.

Então é isso. Acho que comecei a vestir uma camisa de flanela na imagem do Detset. Os próximos capítulos dessa saga em busca da identidade visual ideal você, meu querido e fiel leitor, acompanha em breve aqui no blog. Hasta!

Nenhum comentário: