quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

IÊ-IÊ-IÊ

Mais um cartaz pro Beatles For Sale, ueba! O pedido veio com o aviso de que o show focaria mais a fase ie-ie-ie, tocando as canções do ínicio da carreira de John, Paul, George & Ringo.

Não sou nada entusiasmado em usar fotos nas minhas artes, mas lembrei na hora da histórica apresentação dos Beatles no Ed Sullivan Show. Estima-se que n aquele dia 9 de fevereiro de 1969 uns 70 milhões de americanos estavam assistindo o programa batendo todos os recordes de audiência na época e ponteando o auge da beatlemania. Sempre gostei muito do palco montado para a ocasião (com setas cercando a banda) e resolvi brincar com essa imagem.

Destruí completamente uma foto de making of que além dos Beatles e do cenário, mostrava ainda a equipe filmando e os holofotes do estúdio. A idéia era tornar as extremidades escuras pra dar a impressão de que a luz viria diretamente do centro. Entre os filtros que usei no Photoshop, destaca-se o de plastificação que reforça o lance da iluminação e descaracteriza os músicos sem que o receptor da comunicação deixe de saber quem é quem.

A borda das setas foram levemente rabiscadas de forma manual e bem tosca, o que deu certo brilho pra elas. Esse é um daqueles detalhezinhos que fazem diferença pra mim.

De resto, nome da banda em destaque, repetindo as estrelinhas usadas no primeiro cartaz que fiz pro projeto (veja post ALL YOU NEED IS) e a informação em letras grandes separadas por cores (na verdade, utilizei a mesma textura da foto pra manter a unidade e não destacar tanto como se tivesse simplesmente jogado uma cor chapada ali).

Esse foi o primeiro cartaz de uma série de três que a banda pediu de uma vez só. Cada um com uma característica diferente. Futuramente os seguintes darão as caras por aqui. Até lá!

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

BUTTERFLIES FLY

Alô, alô! Salve, salve rapaziada passageira de 2011! Cá estamos em mais um ano tentando explicar o inexplicável da identidade visual instintiva. Seja bem vindo!

Vamos abrir a terceira temporada do projeto simples com o cartaz do Colher de Chá tocando no Estação Café Brasil. Banda do amigo Gabriel Feijó que já está com disco quentinho no forno e projeto gráfico escamoso, o que certamente facilita na hora da composição de uma arte pra divulgar show já que conheço bem o projeto.

Os caras descem a sola da botina no bom e velho rock'n'roll com alusões psicodélicas, letras e solos quilométricos... enfim banda de rock. Clássico "um, dois, três e foi" sem muito nhem-nhem-nhem. Mas eu falei psicodelismo, né? Então o leitor habitual dessa casa da mãe Joana do cyber espaço já sabe o caminho q vou seguir na composição do poster... se me deixarem a opção, eu SEMPRE vou derreter, hehe!

Utilizei quilos das colheres-borboletas que farão parte do disco e já deram as caras no outro cartaz que fiz da banda (veja post VAMOS COLORIR?), como se estivessem presas numa gaiola formada pelas informações do show contendo uma pequena abertura por onde elas escapam e se espalham pelo grnade mundo do formato A3.

No fundo, misturei uma textura de papiro em decomposição com uma chapa de metal (!) e ainda dei uma boa estragadinha no photoshop. Acabou se transformando numa espécie de papel de carta azul calcinha lavada na cândida. Gostei muito disso!

O nome da banda eu mesmo desenhei no Corel (álias, uns 80% do cartaz foram feitos ali!) e usei o efeito de plastificação no photoshop que quase dá uma sensação 3D. O amarelão acabou destacando bem bacana do resto.

Pra finalizar, vamos ao já tradicional "último-parágrafo-auto-ajuda": enquanto as borboletinhas voam pra encontrar sua liberdade, eu posso dizer que fiz um cartaz "estilo papel de carta" pra uma autêntica banda de rock, e assim, faço uso da minha. Que o resto do ano continue assim!