segunda-feira, 18 de outubro de 2010

DE 10 ATÉ 100 MIL.

Sempre fui um grande admirador do Pato Fu. Tenho os discos, já fui a uma porrada de shows, gosto da maneira como se portam, etc... por isso adorei quando a Miriam Sampaio me falou que ia fazer um especial com músicas da banda e precisava de um cartaz.

Musicalmente e visualmente a banda sempre me passou uma visão de caos: Vão de uma sublime delicadeza até a tosquice mais desgraçada dos infernos. Como sou um defensor da utilização do Paint nos meus trabalhos, não tive pudores em fazer parte da arte ali mesmo! Peguei as três carinhas desenhadas na contracapa do "Rotomusic de Liquidificapum" (Cogumelo - 1993) qdos os patos ainda eram um trio e desenhei no mesmo esquema os dois integrantes q entraram depois.

Ainda no campo das citações, deixei uma bola vermelha de fundo (posteriormente zoada) pra lembrar a logo original da banda que fazia uma alusão à bandeira do Japão. Mas dei meu toque no nome da banda e acabei repetindo o processo nas informações sobre o show.

Pra fazer o fundo (já brincando no photoshop), misturei duas texturas muito loucas e ainda um quadro do Jackson Pollock (1912 - 1956) que também é um grande expoente em colocar ordem no caos, chapei num amarelildo e virou essa ode ao omelete que você pode visualizar. Ainda lasquei uma moldura e zoei com ela do mesmo jeito que fiz o círculo japonês.

Detalhezinhos: a logo do bar num cartão postal e os desenhos utilizados na capa do já citado "Rotomusic de Liquidificapum" (a parte debaixo culmina no meu carimbo, hehe!).

Ah! E um ponto que não curti foi colocar a escalação da banda no cartaz. A não ser q o baixista e o baterista sejam o Paul McCartney e o João Barone respectivamente (ehehe!), essa é uma informação desnecessária e que periga deixar a arte com cara de bula de remédio. Lembrem-se sempre, crianças, que menos é mais.

Nenhum comentário: