quarta-feira, 24 de março de 2010

NAFTALINA OITENTISTA

Cartaz de estréia da banda Pacman 80. Obviamente os caras só tocariam músicas da década onde ombreiras eram legais, fazer um permanente no cabelo era bonito e, sabe-se lá como, o rock'n'roll invadiu de maneira mais agressiva os meios de comunicação brasileiros.

Começando pelo nome da banda, é bom situar pros jovens nascidos numa era pós internet que Pac Man é o nome de um dos jogos mais populares do videogame da infância de quem viveu aquela década: o Atari. Era um simpático personagem redondo e amarelo, com um olho e uma boca que comia umas pastilhas e fugia de fantasmas dentro de um labirinto. Baseado no formato do homenageado e nas cores do seu game, desenhei o nome da banda.

Coloquei essa logo dentro de uma televisão. Escolhi um modelo típico da década, daquelas que não tinham controle remoto e que, pra mudar de canal, girava-se um botão mega barulhento (CLEC CLEC CLEC...) que se encontrava no aparelho.

No fundo verde apelei pras bolinhas com uma coloração um pouco mais fraca coma finalidade de dar um certo ar new wave. Pras infos utilizei a fontes estilo do Atari mesmo e pronto. Sem maiores complicações.

quinta-feira, 18 de março de 2010

QUATRO CANTOS

Mais uma arte pro Maracutaia do Samba. Cartaz bem simples. Eu que torço o nariz pra utilização de fotos (prefiro desenhar!), preferi evidenciar o conceito da banda aqui e, assim como na outra arte, mostrei os instrumentos da proposta musical.

Dessa vez fui atrás de fotos mais caprichadas pra estragar elas no photoshop. Distribui um pandeiro, cavaquinho, fone de ouvido e uma agulha mandando ver num disco de vinil nos quatro cantos (numa disposição que invadisse um pouquinho o meio onde estaria o nome da atração) e usei um efeito que as deixava meio "rabiscadas".

Diferentemente da outra arte (post LA RE-VUELTA!), o repertório desse show seria mais abrangente, por isso coloquei junto ao nome da banda, uma loguinho dizendo "Samba raiz & Hip hop". Sabicumé, os meninos estão ainda decolando e nem todo mundo sabe exatamente o que a banda toca, então facilitar um tantinho (desde que não polua) é saudável.

Acabei dando uma cara mais cinza pra vizualização geral, usando uma das minhas queridas texturas de papel velho pro fundo. Na hora até achei bacana, porém (TEM SEMPRE UM PORÉM!!!) olhando agora já não me agrada tanto. Provavelmente se tivesse passado pelo "teste do dia seguinte", eu teria limado o fundo e teria dado um ar mais clean. Buenas, é bão pra eu saber que não é sempre que a papelada old fica bacana e, querido cliente ou até mesmo você leitor habitual do blog, taí um bom motivo pra se pedir um trampo com antecedência pro cara que cuida da tua identidade visual, hehe!

quinta-feira, 11 de março de 2010

CONTRÁRIO DO CONTRÁRIO

Não lembro exatamente a situação do pedido desse cartaz do Base 2 fazendo o seu já tradicional especial com as músicas d'O Rappa, o que me leva a crer que tive certo tempo pra fazer sem pressão (evitando causos bizarros!).

Pensei em fazer algo diferente da "delicadeza" proposta pelo última arte (post DELICADA FORMA DE CALOR) mas fazendo uma auto-referência utilizando o mesmo dragão do disco "O silêncio q precede o esporro" (2003). Queria algo mais rústico/agressivo.

Começando pelo fundo, ele certamente não seria branco. Fui atrás de alguma textura pra zoar (minha grande mania atualmente) mas achei pouco. Então misturei três maluquices diferentes e colei de forma aleatória uma em cima da outra, deixei tudo meio marrom e virou essa imagem sombria que aparece aí.

Joguei um filtro no dragão onde ele absorve a textura de fundo, mas não ficava contente com o posicionamento dele. Então resolvi duplica-lo! Um de frente pro outro pra dar um tom de simetria (no segundo não utilizei o filtro absorvente).

Logo da banda gigante lá em cima de tudo e nome do especial escrita num "Sex Pistols Way of Life" pra manter o clima agressive, mas faltava algo pra dar aquele grauzinho de sujeira, em especial no pé do cartaz. Peguei uma foto da lua nascendo numa região árida e simplesmente destruí ela com um zilhão de effectos. Parece que os dragões estão abraçando o nosso querido satélite, hehe! Pra completar ainda zoei uma linha de rabiscos e deixei atravessada no meio da arte. Agoooora eu gostei!

Por causa das texturas acredito que ando correndo o risco de poluir mais q necessário os trabalhos. Então todo o cuidado é pouco nesses casos. O fato de ter pouca informação ajudou nesse sentido e deixei ela razoavelmente pequena, então acho que consegui ser agressivo sem necessariamente agredir o desenho.