segunda-feira, 4 de maio de 2009

BREGA & CHICK

Essa idéia nasceu antes do pedido. Quando fomos na gráfica imprimir o cartaz do Tiradentes (post LIBERTAS QUÆ SERA TAMEN), ficamos esperando pelo atendimento e fui pegar uma revista pra ler. Eis que pego um exemplar do Superboy da extinta editora Ebal. Primeiro fiquei surpreso por ter uma raridade daquelas pra ler numa sala de espera (até agora não sei como não surrupiei tal preciosidade arqueológica...) e, segundo, fiquei encantado com a impressão reticulada (ou meio tom) daquele tempo. Cheio de pontinhos pra colorir e tals. Mostrei pro Max que também achou legal e no mesmo instante brotou o pensamento "preciso fazer um cartaz nesses moldes ou não desfrutarei de satisfação nessa vida!".

Pouco tempo depois, o Max me fala sobre utilizar uma foto pra próxima arte. Fiquei com os dois pés atrás. Eu evito ao máximo utilizar fotos das bandas. Não tem absolutamente nada a ver com a minha proposta de conceito e, além disso, acho que dá um tom de banda de baile mesmo pro heavy metal mais from hell do mundo, ou seja, brega. Claro que essa é uma visão extremamente pessoal, mas é o que sinto. Por isso evito de verdade. Brega por brega, prefiro uma arte 100% original minha. É mais difícil do que simplesmente copiar e colar uma foto, mas dá mais alegria ver que meu DNA está ali.

Expliquei isso tudo pro Max, que não só entendeu como compartilha dessa idéia comigo, porém (TEM SEMPRE UM PORÉM!!!), a foto em questão não era da banda, e sim, do sobrinho dele. Justamente na primeira vez que o moleque sentou num piano! Como o show se tratava da volta do Max ao palco do Valentino depois de tantos anos e, por isso mesmo, o tema seria "Como se fosse a primeira vez", ia de encontro com a imagem sugerida. Aprovada na hora!

Ainda assim, a idéia de simplesmente colar a foto não me descia suavemente. Então lembrei do Superboy! Coloquei o efeito de retícula na imagem e deixei só em tons de verde e branco. Aí sim, o negócio começou a ficar bem interessante...

O Max ficou desconfiado quando avisei que iria mexer na foto, mas curtiu a idéia quando viu e na hora se ligou de onde vinha. Pediu pra seguir essa linha e foi o que eu fiz. Coloquei uma borda grossa e arrendondada pra dar essa sensação de quadrinho ou figurinha e mandei ver em cores que se destacassem no verde. Amarelo pro nome do bar e vermelho pra logo da banda. Seguindo a onda dos cartazes anteriores montei o fundo pras informações com várias logos do Max & MP3 (assim como a própria logo), o que continuou dando o ar de retícula pro todo.

Pra quem corre da simples possibilidade de utilizar fotos, gostei muito do resultado final. Muita gente pergunta se a foto é do próprio Max quando moleque, pois o efeito utilizado e a combinação de cores passou um ar retrô. Bacana! Como eu disse lá em cima, brega por brega... prefiro ser pelos meus próprios méritos, né? Assim posso desfrutar da tal satisfação, hehe!

2 comentários:

Luna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luna disse...

'Brega por brega, prefiro uma arte 100% original minha. É mais difícil do que simplesmente copiar e colar uma foto, mas dá mais alegria ver que meu DNA está ali.'

sinto um ar de patada nesse post, HAHAHA. :P