quarta-feira, 29 de abril de 2009

DEFEITOS ESPECIAIS

Enfim estamos chegando nos cartazes de shows que ainda estão por vir! Tô me segurando e escrevendo um post por dia, senão acabam os trampos e eu fico sem atualizar. Como cada um tem uma histórinha, é muito viciante ficar escrevendo. Espero que esteja sendo tão legal pra quem lê quanto está sendo pra mim.

Preciso dizer qual foi a primeira coisa que o cliente falou quando pediu o cartaz? Um doce de figo para quem chutou em É PRA ONTEM! A minha resposta agora é que esse prazo está se tornando minha especialidade, hehe!

A banda Base 2 está gravando seu disco autoral e tem, como muitas das bandas de Londrina, dois shows com repertórios diferentes na manga. O seu próprio e um tributo pra uma banda famosa. Nesse caso, a banda consagrada é O Rappa.

Ao ver as comunicações anteriores da banda, achei um pouco poluídas. Nada que estragasse, mas um pouco além dos padrões escamosos. Portanto, só pude pensar numa coisa (mais um doce de batata pra quem adivinhar!): FAZER DIFERENTE!

Já estava decidido que seria uma arte clean quando recebi a logo da banda no Corel e não abriu nada aqui (o bom e velho Corel Pau!). Como tinha que resolver em pouco tempo, acabei pegando uma versão jpg mesmo e usando o rastreador do Corel (que transforma imagens em curvas) para poder manipular com mais facilidade. Claro que ficou um pouco prejudicada em relação a original, mas eu tinha segundas intenções para esse cartaz mesmo, então isso veio bem a calhar...

Na onda da logo falhada, procurei a do próprio Rappa nas mesmas condições, fiz o mesmo processo e ficou mais estourada nos pixels ainda. Já falei que gosto da imperfeição? Acho muito mais real, verdadeira e possível do que a idealização da perfeição. Isso reflete diretamente no meu trabalho, afinal de contas, ele é bem pessoal. Nada mais justo do que ser um reflexo de quem eu sou.

Pra não ficar tudo no p&B, acrescentei um pequeno detalhe vermelho: o "X" da capa do último disco do Rappa. A diferença é que esse eu mesmo desenhei no Corel, o que é bem simples, porém (TEM SEMPRE UM PORÉM!!!) foi a parte que mais deu trabalho porque tive que desenhar as falhas e pixels estourados dessa imagem. Cada quadradinho que está ali foi este ser abençoado que vos escreve quem , pacientemente, colocou um por um. Pra piorar mais a qualidade, simulei falhas na impressão. Até a moldura fiz toda nesse esquema.

Pra contrastar com tudo isso, a fonte das informações (LittleLordFontleroy) tem cara de coisa chique e conseguiu dar um ar de respeito pra toda essa sujeira.

Como não utilizei todo o espaço disponível, o resultado final me passa uma sensação boa. Dia desses uma amiga falou que lê os textos aqui e parece que eu sou cliente, hehe! Na verdade sou mesmo. Se não me passar boa impressão a arte, não rola. E, se eu mesmo não gostar do que faço, como é que vou convencer outra pessoa? Não tenho tanta cara de pau assim...

3 comentários:

Luna disse...

tuas histórias respondem a pergunta que fiz... qual critério usar pra cobrar? vááá, que trabalhão. é um trabalho gostoso, né?
lembrei de uma coisa, eu adoro trabalho manual - sobre os cds do mamaquilla :)

Li Santos disse...

desculpa perguntar, mas você é formado cara???

el escama disse...

Oi Li! Sou formado em publicidade.