quinta-feira, 23 de abril de 2009

AI SE SESSÊ!

Mais uma parceria com o Grind Control. No pedido já mandaram "aquele lance: estrelona vermelha que a galera já reconhece na hora!". Eu não sou lá muito fã de repetição,mas depois pensei bem e vi que só tinha usado esse recurso no primeiro cartaz (post DOIS EM UM). No segundo eu deixei ela bem discreta (post ORDEM NO CAOS), então sem problemas! Igual, porém (TEM SEMPRE UM PORÉM!!!), naquela singela filosofia Monty Phyton de ser: uma coisa completamente diferente, hehehe!

Ainda na fissura por texturas e filtros (esse é o último da pequena série), peguei a foto de um tronco de árvore e colei uma estrela nele. Passei por um filtro que deixou ela como se fosse aquela árvore petrificada que quebrou o bico do Pica-Pau! Aproximei a imagem e o fundo ficou parecendo uns rabiscos de pedra com uma grande estrela preta no meio.

Mas queriam estrela vermelha, certo? Despertei o pequeno comunista que deve hibernar em algum canto do meu inconsciente, peguei o pincel do próprio Photoshot e, como se fosse el serelepe pré-adolescente escamoso brincando no Paint, pintei por cima da estrela preta uma grossa camada de rabiscos avermelhados. Estava aí: igual mas diferente!

A fonte utilizada para escrever o nome do Rage Against The Machine é uma utilizada pela própria banda. Deixei a parte das letras vazada para ela se confundir com o fundo. Achei o resultado interessante. Curioso que, dessa vez, nem precisei divulgar o nome do Grind Control. O pessoal aqui já sabe que são eles que fazem esse especial, então só colei o endereço do myspace da banda.

Ah, ia rolar uma abertura com a banda Dig Dig Dig Hempa fazendo, é óbvio, um especial pro Planet Hemp! Até a idéia inicial do cartaz, inspirado nos "defeitos" especiais que aparecem nas entrevistas que o Marcelo D2 dá pro CQC (sempre colocam uma fumaça verde saindo da boca dele, hehehe!) era deixar a fumacinha por trás do nome e invadindo o resto do cartaz. Até tentei, mas o verde não combinou então deixei uma sombra vermelha mesmo pra referência (que, em nome de Inri! Só eu e Andy Kaufman entendemos essa piada...).

Agora a parte triste da história: a banda quis economizar no custo dos cartazes e imprimiu em p&b. A estrela vermelha (lembra da única exigência?) virou um massaroco cinza e simplesmente desapareceu! O que era destaque se confundiu com o fundo e matou o cartaz. Confesso ter um pouco de culpa nessa jogada, pois mesmo sem ter me avisado que existia a possibilidade de soltarem a arte nos tons de cinza, eu deveria ter mandado uma versão alternativa em p&b. Era só deixar a estrela 100% branca que ela voltaria a ter destaque. Fica a lição pros ilustradores novatos (dos quais eu faço parte...) sempre mandarem duas versões de seus desenhos: a colorida e a p&b. Para que assim sua obra não seja maculada com o desgosto pessoal de ver seu cartaz numa parede e, ao mesmo tempo, não ver nada. Uma pena! Ai se sessê colorido ia ficar tããããooo lindo...

Um comentário:

Luna disse...

tudo beem que é tributo ao Rage Against - rooock - maas, que cartaz escurão. eu clariava um pouco mais a árvore.
e não rabiscaria tanto a estrela :S

'Ai se sessê colorido ia ficar tããããooo lindo...'
hahahahahahahhahahahahahahahahahahhah